Guarda Civil Municipal recupera aves que sofriam maus-tratos e detém pescadores ilegais

 

A Guarda Civil Municipal (GCM) estava em patrulhamento, na última quinta-feira (23), por volta das 11h15, no bairro Campestre, quando avistaram em uma residência alguns pássaros presos em gaiolas, sendo um "Garibaldi", um "Tico Tico Rei", um "Sábia", um "Pixarro" e uma "Maritaca", os guardas verificaram que todos estavam sofrendo maus-tratos, pois não havia comida suficiente, pouca água e acúmulo de fezes. Questionados, os proprietários disseram não ter autorização para a criação das aves e dentro da casa os guardas civis localizaram dois alçapões e uma armadilha para caçar tatu.

Diante dos fatos, o casal foi apresentado na Delegacia, onde foi elaborado Boletim de Ocorrência por Praticar Ato de Abuso a Animais. O casal responderá em liberdade e os pássaros foram enviados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Barueri, para que possam ser reabilitados e devolvidos à natureza.

Já na sexta-feira (24), por volta das 17h30, na Represa de Itupararanga, a GCM realizava patrulhamento náutico, quando avistou dois pescadores armando suas redes, além de uma que já estava armada a menos de 300 metros da confluência dos rios que formam a represa. O pescador profissional L.P.B., assumiu ser o proprietário da rede que estava no local proibido, e em desacordo com a instrução normativa nº 26/2009 que regulamenta a pesca na região. Nela haviam seis peixes presos, que não puderam ser soltos devido aos ferimentos causados pelas malhas da rede.

O pescador foi conduzido à Delegacia, onde foi atuado em flagrante por pescar em local proibido. As redes foram encaminhadas para a perícia e os peixes doados para à Casa de Santa Rita.

 

registrado em: ,