CAPS II atende mais de 1.700 pacientes

O Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II) de Ibiúna atende mensalmente cerca de 1.770 pessoas, de crianças a idosos, e oferece, diariamente, grupos de conversas e oficinas que possibilitam os pacientes retornarem a uma rotina normal de vida.

Quando chegam ao CAPS, os pacientes passam pelo processo de acolhimento, no qual relatam os problemas para os especialistas, que analisam se farão parte do Ambulatório de Saúde Mental, do CAPS ou crianças e adolescentes. Após, tem consulta marcada com o psiquiatra que atende no local.

Desde que assumiu a diretoria do CAPS, Maria Consuelo Soares Resende, tem alterado o funcionamento do local, fazendo com que os pacientes se sintam mais acolhidos. “Estamos fortalecendo os grupos de discussão, onde os pacientes podem falar, entre si, os problemas e as angustias que sofrem e, também, estamos implementando as oficinas de música, literatura, culinária, entre outras”, disse. A ideia é que o CAPS proporcione uma socialização e a volta da rotina de vida para os pacientes, finalizou.

Dayane Sena é psicóloga e atende no CAPS há dois anos. “Esse é um dos grupos de depressão que trabalho. Há um certo preconceito quando falamos de CAPS, pois logo as pessoas remetem a um local onde “loucos” frequentam, mas não. Aqui atendemos diversos pacientes com diversos problemas, com a finalidade de tratarmos e trabalhar muitas vezes a questão da socialização”, disse a psicóloga.

O local conta com quatro psicólogas, uma terapeuta ocupacional, um médico psiquiatra, três auxiliares de enfermagem e uma enfermeira chefe.

O CAPS II está localizado na rua Álvaro de Almeida Leme, 271 – Centro e funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 17h.

CAPS II no circo

Na última sexta-feira (05), alguns pacientes do CAPS II acompanharam a apresentação do circo Stankowich e não faltaram risadas e aplausos. A presença do grupo, para acompanhar o circo é uma das maneiras de praticar a socialização.

registrado em: ,